sábado, 4 de outubro de 2014

Nada de nova Mariah: em 'My everything' Ariana Grande busca identidade própria mas cai no genérico

Sonhando em ser uma Diva
Depois de uma estréia bem sucedida, Ariana Grande lança seu segundo trabalho com duas responsabilidades: consolidar-se no mundo da música e se livrar do estigma de nova Mariah.

No primeiro Álbum da mini diva as comparações são inevitáveis: Voz potente, registros de notas altíssimas e um tom aerado nas regiões mais graves, associados a um r'n'b melódico/pop são ingredientes básicos de um trabalho de Mimi e também foram em Yours Truly, (álbum de estréia de Ariana)

"My Evereything", segundo álbum da novata, tenta se desvencilhar do estigma de cópia e aposta todas as fichas no pop mais descontraído e meio óbvio. A poderosa 'Problem' traz a nova rainha dos 'feats.', Iggy Azalea levando a música a condição de hit, figurando várias semanas no top 10 do hot 100 da revista Billboard. Também pudera, produzida pelo veterano Max Martin a canção gruda na cabeça e te chama para a pista de dança.

Não poderia faltar aquela fafora/dance/eletro que continua em alta, graças aos deuses da música não mais hegemonicamente. O top DJ Zedd e, mais uma vez Max Martin, foram os responsáveis pela produção da faixa. Boa pra dançar, não das melhores. Mais um hit da moça.

"Why try" é a típica música de Ryan Tedder, que faz variações de 'Halo' pra todas as pessoas que trabalha. Chatinha, mas dá pra ouvir sem passar a faixa.

O companheiro de Ariana, Big Sean, também aparece no álbum na melosa Best Mistake que remete ao primeiro trabalho da morena. Aquele R'n'b palatável, bom de ouvir, que repete a máxima da diva com rapper. Ainda funciona? Sim, principalmente nesse caso.

Ainda não conseguiram acertar a mão nas grandes baladas para Ariana, apesar da ótima perfomance vocal as músicas mais lentas não tem o poder que poderiam, em grande parte por culpa da produção. A potência da voz de Ariana é subestimada e os arranjos de "Just a little bit of your heart" e "My Everything" simplistas demais.

Destaque para o sample muito inteligente de "I'm Coming out" de Diana Ross na ótima "Break your heart right back". Vale muito a pena ouvir.

O single de Jessie J com participação de Ariana e Nikki Minak também marca presença em My Everything. Estrategicamente colocado mais próximo do final, a música acorda o ouvinte que já estava disperso depois de vários minutos de faixas com pouca personalidade. Ponto para a novata.

My everything vai oscilando entre influências black e o pop chiclete, flertando com dance. Por ter 15 faixas As vezes o álbum se torna cansativo, talvez também por ser muito genérico. Em contrapartida (e talvez contraditoriamente) é cheio de possíveis hits. Nisso Ariana conseguiu se distanciar de Mariah, se aventurando por outros caminhos, trabalhou com os principais hitmakers do momento e trouxe um álbum que agrada quem gosta de uma boa música pop cheia de girl power.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...