sábado, 4 de outubro de 2014

Nada de nova Mariah: em 'My everything' Ariana Grande busca identidade própria mas cai no genérico

Sonhando em ser uma Diva
Depois de uma estréia bem sucedida, Ariana Grande lança seu segundo trabalho com duas responsabilidades: consolidar-se no mundo da música e se livrar do estigma de nova Mariah.

No primeiro Álbum da mini diva as comparações são inevitáveis: Voz potente, registros de notas altíssimas e um tom aerado nas regiões mais graves, associados a um r'n'b melódico/pop são ingredientes básicos de um trabalho de Mimi e também foram em Yours Truly, (álbum de estréia de Ariana)

"My Evereything", segundo álbum da novata, tenta se desvencilhar do estigma de cópia e aposta todas as fichas no pop mais descontraído e meio óbvio. A poderosa 'Problem' traz a nova rainha dos 'feats.', Iggy Azalea levando a música a condição de hit, figurando várias semanas no top 10 do hot 100 da revista Billboard. Também pudera, produzida pelo veterano Max Martin a canção gruda na cabeça e te chama para a pista de dança.

Não poderia faltar aquela fafora/dance/eletro que continua em alta, graças aos deuses da música não mais hegemonicamente. O top DJ Zedd e, mais uma vez Max Martin, foram os responsáveis pela produção da faixa. Boa pra dançar, não das melhores. Mais um hit da moça.

"Why try" é a típica música de Ryan Tedder, que faz variações de 'Halo' pra todas as pessoas que trabalha. Chatinha, mas dá pra ouvir sem passar a faixa.

O companheiro de Ariana, Big Sean, também aparece no álbum na melosa Best Mistake que remete ao primeiro trabalho da morena. Aquele R'n'b palatável, bom de ouvir, que repete a máxima da diva com rapper. Ainda funciona? Sim, principalmente nesse caso.

Ainda não conseguiram acertar a mão nas grandes baladas para Ariana, apesar da ótima perfomance vocal as músicas mais lentas não tem o poder que poderiam, em grande parte por culpa da produção. A potência da voz de Ariana é subestimada e os arranjos de "Just a little bit of your heart" e "My Everything" simplistas demais.

Destaque para o sample muito inteligente de "I'm Coming out" de Diana Ross na ótima "Break your heart right back". Vale muito a pena ouvir.

O single de Jessie J com participação de Ariana e Nikki Minak também marca presença em My Everything. Estrategicamente colocado mais próximo do final, a música acorda o ouvinte que já estava disperso depois de vários minutos de faixas com pouca personalidade. Ponto para a novata.

My everything vai oscilando entre influências black e o pop chiclete, flertando com dance. Por ter 15 faixas As vezes o álbum se torna cansativo, talvez também por ser muito genérico. Em contrapartida (e talvez contraditoriamente) é cheio de possíveis hits. Nisso Ariana conseguiu se distanciar de Mariah, se aventurando por outros caminhos, trabalhou com os principais hitmakers do momento e trouxe um álbum que agrada quem gosta de uma boa música pop cheia de girl power.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Aretha Franklin canta Adele em novo álbum

Moça, tem um pouco de cara na sua maquiagem
Depois de anos sem gravar, a Rainha do Soul, Aretha Franklin voltou aos estúdios e prepara um álbum só de covers, o Aretha Franklin Sings the Great Diva Classics, seu 39º álbum. A primeira música escolhida para ser trabalhada foi "Rolling in The Deep", de Adele.

A interpretação da diva master é infinitamente mais visceral do que a da britânica, leve isso tanto para o bem quanto para o mal. Comparações entre as cantoras chegam a ser levianas mas inevitáveis, enquanto Adele canta calmamente com linearidade e serenidade, Aretha brinca (até demais, as vezes) com as notas da música tornando o hit uma música sua. São nesses melismas que moram o perigo, particularmente eu ODIEI o que ela fez no primeiro refrão em um grave escroto no min 1:03, porém o resto da faixa está a salvo. E convenhamos, É a rainha do soul, ela pode fazer o que quiser.

A voz da diva já dá sinais de cansaço mas nada que prejudique a execução de todas as acrobacias vocais que ela se propõe a fazer. 

A surpresa fica por conta do final, o Mash-up com o clássico de Marvyn Gaye "Ain't no mountain high enough" que se encaixou perfeitamente na melodia da canção.
Ouça:


Na set list do CD que está por vir estão covers de Alicia Keys, Whtiney Houston (estou ansioso por estes dois), Barbra Streissend e The Supremes. Olha a set completa:

1 – At Last (Etta James)
2 – Rolling In the Deep (Adele)
3 – Midnight Train To Georgia (Gladys Night)
4 – I Will Survive/Survivor (Gloria Gaynor/Destiny’s Child)
5 – People (Barbra Streisand)
6 – No One (Alicia Keys)
7 – I’m Every Woman/Respect (Whitney Houston/ Chaka Khan)
8 – Teach Me Tonight (Dinah Washington)
9 – You Keep Me Hangin’ On (The Supremes)
10 – Nothing Compares 2 U (Prince/Sinead O’Connor)
Já posso morrer com o Mash-up da faiza 4? OK



quarta-feira, 17 de setembro de 2014

"Você falou em feat?" Jennifer Hudson divulga música em parceria com Iggy Azalea

Jennifer Hudson continua correndo atrás daquele Hit que vai marcar a sua carreira. Apesar de super talentosa, a cantora ainda não conseguiu seu tão sonhado #1.

Para conseguir o feito J-Hud tem se cercado de nomes de peso nas suas produções como Timbaland e TI. A mais nova tentativa da Diva é 'He Ain't goin' nowhere' em parceria com a mais nova 'arroz de festa' da música, Iggy Azalea. Porque aparentemente tudo que a rapper toca está virando ouro, vide a sua própria 'Fancy' e a parceria com Ariana Grande, 'Problem', que têm tido ótimo desempenho nos charts.

JLo recorreu à mágica da rapper e ainda não teve o retorno esperado na parceria em 'Booty', agora chegou a vez de Jennifer também tentar sair do pântano do Flop colaborando com a artista.

Com produção do hitmaker Pharrell, responsável por quase todos os sucessos dos últimos tempos, "He Ain't goin' nowhere' explora o melhor do vozeirão da artista, sem muitos exageros (como acontece em muitas das músicas de Hudson). O Arranjo do baixo é o destaque da música que tem influências claras do disco/funk dos anos 70. O Resultado é uma faixa moderna e bem suave, fácil de ouvir. 

Qualidade não falta na faixa e a participação de Azalea se torna quase dispensável. A produção não tem cara de sucesso imediato apesar do time de peso envolvido. Na verdade ainda não se sabe se a faixa será lançada como single, então falar em paradas de sucesso não é o foco.

Ouça a canção:


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Nick Jonas investe numa pegada retrô em novo single. Ouça 'Jelous'

Nick Jonas está praticando a lei do desapego e deixando de uma vez por todas o som dos Jonas Brothers no passado. O Bonitão que já tinha se aventurado solo numa vibe mais R&B agora investe numa pegada mais pop mesmo.

'Jelous' tem uma sonoridade mais chegada aos anos 80, com uns sintetizadores e muitos falsetes, com ela o irmão Jonas vem procurando sua identidade como artista solo. A música não é ruim, mas não tem muito apelo comercial. Vale ouvir.


> Siga a gente no Twitter > Curta a Gente no Face

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Lenny Kravitz tá delícia, tá gostoso no no clipe de 'The Chamber', vem ver!

Para tudo porque Lenny Kravitz lançou clipe e, confie em mim, vale muito a pena dar uma conferida. O vídeo de 'The Chamber' é MUITO HOT. Tem Lenny sem camisa (!), tem modelo pagando peitinho, tem sado-mazô, ou seja, uma delícia.

A Fotografia do clipe dá o tom perfeito para o clima da música: uma vibe levemente psicodélica e ao mesmo tempo dark, um toque retrô e cores quentes. E aí está, a experiência que casa muito bem com o áudio.

A canção em si me lembrou um pouco o som do prince, talvez pelo baixo com infuências Disco. Não é a melhor performance vocal do cantor, mas mesmo assim não tira o mérito da produção que é bem feita.

Melhor parar de falar e ir direto ao que interessa:

Ah vale ressaltar que o Lenny está com 51 anos e sambando na cara dos novinhos de 20.
Vem, Lenny!


> Segue a gente no Twitter
> Curte a gente no Face

Nicole lança mais um clipe. Assista toda a choradeira de 'On The Rocks'

Nicole Scherzinger continua sua árdua batalha para se livrar do FLOP que a persegue. A eterna líder das Pussycat Dolls lançou o segundo clipe do seu novo álbum que não tem data de lançamento (o primeiro vídeo você confere aqui). A música escolhida foi 'On The Rocks'.

Amiga, assim fica difícil de defender! Tudo bem, a música é bem boa, mas não tem cara de hit. Na verdade nem perto disso, está mais parecida com aquelas músicas que vem pra completar o CD, que os fãs adoram, a crítica adora mas não serve como single.

Já o clipe é um sofrimento, Nic chora, bebe, borra a maquiagem, aparece toda desgrenhada depois de uma noite mal dormida...Obviamente tudo em preto e branco para reforçar o tom mais dramático do babado todo.

Mas não se preocupe, no final a cantora 'pinta o cabelo e se valoriza' e vai pro mundo ser feliz.
Assista ao novo clipe de Nicole, 'On The Rocks':

> Curte a gente no Face
> Segue a gente no Twitter

terça-feira, 26 de agosto de 2014

J.Lo troca Pitbull por Iggy Azalea em nova versão de 'Booty'. Ouça

Jennifer Lopez divulgou o áudio oficial do remix de Booty, faixa do seu último álbum A.K.A. Na canção original o rap era feito por Pitbull, que foi substituído pela mais nova queridinha da América, Iggy Azalea.

Ponto para J.Lo! A música é uma das poucas pra não dizer a única  com potencial real de Hit. A parceria já tradicional com sua dupla sertaneja Pitbull já apresentava desgaste e com certeza não renderia tanto. A entrada da Iggy na faixa dá um novo fôlego à divulgação do single, uma vez que a rapper está em um ótimo momento da carreira.

A música em sí já é boa, apesar de letra meio boba mas tem o refrão pegajoso e pegada up-tempo perfeita para as tradicionais coreografias da veterana.

A Capa do single não poderia dar ênfase a outro lugar que não as bundas das artistas. 

Ouça a nova versão de Booty e deixe sua opinião!


Oh-my-God-Look-her-butt

Curte a gente no Facebook

Segue no Twitter

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Nicki Minaj mostra por que a Anaconda don't

"O que é isso? Parece uma pornô"
Corram pras colinas! Nicki Minaj lançou o segundo clipe do álbum 'The Pink Print' que está por vir. A música escolhida para substituir Pills and Potions foi a famigerada "Anaconda".

Pelo Nome já dá pra saber que coisa boa não vem por aí, né? Ok, Nicki a gente sabe que você não é a rainha da classe e canta coisas sobre bundas e paus mas essa daí foi muito punk.

O vídeo é de muito mau gosto, com referências das mais escrotas ao gozo, falos e obviamente, bundas. Bundas, bundas, bundas em todo o lugar, da maneira menos sutil que você possa imaginar. Fio dental, shorts um pouco mais curtos do que a 'finada' Carla Perez na época do Tchan, chantily caindo pelo corpo, bananas na boca... Jesus jogue álcool em gel nos meus olhos.

Por mais que eu queira levar pro lado divertido, o clipe é explícito demais e tira até a atenção da música, que apesar da letra não é de todo mal. 

Por falar na música, além das rimas agressivas, ela tem uma referência legal ao toque de I Like Big Butts do Sir Mix-A-Lot. Nada mais apropriado, diga-se de passagem.

Depois disso tudo, deixo vocês com essa obra prima do Rap, 'Anaconda':


Ah! Se alguém descobrir o que do Drake está fazendo no vídeo, me conta.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Michelle Williams lança clipe em parceria com Beyoncé e Kelly Rowland

Michelle Williams lançou seu mais novo clipe, uma parceria com suas ex-colegas de banda Beyoncé e Kelly Rowland! A igreja glorifica de pé, irmões! A música em questão é "When Jesus Says Yes", e sim, obviamente é uma música gospel. Mas não espere nada no estilo Aline Barros de ser. A canção tem influências da música africana com toques eletrônicos que causa estranhamento em uma primeira audição, mas termina conquistando o público.

Talvez eu esteja tendencioso a gostar já que, querendo ou não, é uma reunião das Destiny's Child! O clipe é bem legal e mostra várias pessoas na vibe da música, dançando loucamente numa coreografia com referências diretas à Africa. No Brasil os mais fervorosos irão associar ao candomblé e começar o mimimi eterno que dá sono em qualquer cristão. No final das contas é um lançamento legal mas nada super, até porque a Michele tem um público de nicho bem específico, mas como dito anteriormente é uma REUNIÃO DAS DC caraio! Então já vale o play. 



 Ah! Por favor, me digam que foi vingança da Michelle colocar Beyoncé com essa roupa/cabelo. E kelly de volta ao visual curtinho... Só Jesus tem pena. Mas quando ele diz 'Sim', ninguém pode dizer 'não', Amem? original

Robin Thicke apela e lança música pedindo para a esposa voltar.

Robin Thicke parece que se arrependeu de aprontar horrores com sua mulher, Paula e dedicou seu novo trabalho para ela. O novo álbum do cantor foi intitulado com o nome da ex (!) e segundo o próprio todas as músicas foram escritas inspiradas na separação. O primeiro single do CD é "Get her back", ou seja, mais um apelo para Paulinha voltar. No vídeo, o cantor tira a camisa e mostra menagens trocadas entre ele e a ex, permeados por imagens de uma mulher indo embora e Robin sofrendo todo ferrado, como se tivesse apanhado...zzz... foi mal, dormi aqui. A música é muito água com açúcar, totalmente diferente do hit "Blurred lines". A melodia é bem suave e a letra melosa, bonitinha, mas ordinária. Se Robin não fosse tão cafajeste a gente até que ajudava subindo a tag #VoltaPaula, mas melhor não. Dá uma olhada no video:

Nicole (Pussycat doll) Scherzinger lança clipe. Vem ver “Your Love”

Nicole Scherzinger está de volta!
QE vem com aquele clipe gostosinho para seu single "Your love". Basicamente é ela sendo gostosa na praia... Então, é legal mas não é a melhor coisa do mundo. Talvez Nic quis economizar no vídeo para evitar o prejuízo no caso de um
muitopossível FLOP.

Talvez seja a falta de suas companheiras ou pouco investimento da gravadora, mas o fato é que até agora a cantora não conseguiu emplacar aquele hit que vai ser lembrado pra sempre. Provavelmente "Your Love" vai entrar para o ról dos singles abandonados depois de uma fraca divulgação. Digo isso porque a música, apesar de chiclete, não tem cara de #1. Espero estar errado, porque Nicole é uma artista muito boa apesar de tudo.

Chega de blá, blá, blá e vamos asssistir (ou não) Your Love:


Depois de inúmeros singles desde 2012 finalmente Mariah Carey resolveu lançar um novo álbum. Gravado e regravado até a exaustão o material de Mimi termina sendo mais do mesmo.
Inicialmente intitulado "The Art of Letting Go", O novo trabalho terminou batizado "Me. I Am Mariah... The Elusive Chanteuse", algo do tipo "Eu. Eu Sou Mariah...A cantora imprecisa (?)".
O álbum conta com novas gravações e músicas remanescentes do último álbum da cantora engavetado pela gravadora, o "Angels Advocate", que seria apenas de duetos.
Ok, Vamos ao que interessa: A música. É a velha Mariah que todo mundo conhece, com sua extensão vocal impressionante, baladas melosas e canções no melhor estilo R'n'B. Ruim? Não, de jeito algum. O preciosismo da americana não deixaria isso acontecer, porém poderia ser melhor.
mariah-careyTalvez 'Me. I Am Mariah..." precise de um hit mais comercial, apesar de contar com faixas que podem ser bem exploradas como single, tipo a faixa Thristy, cheia de rappers e bem "guetto"; promessa de sucesso, pelo menos nas paradas urban. Em entrevista, a cantora chegou a afirmar que o CD atrasou porque ao ouvir o resultado final ela ainda não ouviu nenhum sucesso em potencial. Pelo que a gente pôde escutar, nós também não. Para Mariah, isso é um problema enorme, já que ela é a artista com mais #1 na Billboard e ha tempos não emplaca um sucesso.
A capricho é tanto, que a loira ainda não disponibilizou as letras, mesmo com o álbum quase todo disponível para audição streaming. Segundo ela mesma, respondendo uma pergunta no twitter, partes da música ainda podem ser adicionadas até o lançamento oficial.
Do jeito que andam as coisas, até a set list pode ser alterada. Pelo que se conhece da Mariah é, tudo é possível.

sábado, 24 de maio de 2014

Agora somos www.ultramegapop.com

O UMP mudou! Estamos com novo endereço. Acesse
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...