segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Todos são Mick Jagger no Clipe de Maroon 5 e Christina Aguilera

No maior clima de homenagem sai o clipe pra Moves Like Jagger, a parceria de Maroon 5 e Christina Aguilera.

A música que a gente já comentou aqui, ganhou um clipe muito simples. É basicamente uma audição pra ser Mick Jagger, são homens, mulheres, gente dos mais variados biotipos se movendo como Jagger.

Mesclando imagens antigas do vocalista do Rolling Stones com os bastidores da produção, o clipe termina parecendo uma homenagem póstuma ao cantor. A participação de Christina é tão tímida no vídeo quanto na canção e o ponto alto e ver Adam sem camisa. É divertido mas nada demais.

Dá uma olhada no resultado:


sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Finalmente Aqui está ela: Kelly Rowland e seu Here I Am

Muitos singles promocionais depois, finalmente é lançado o terceiro álbum de Kelly Rowland, Here I Am. Desde 2010 a cantora divulga músicas como divulgação de um suposto álbum que estaria por vir, foram 4 singles e desses 3 não entraram no set list final do álbum, são eles: Rose Colored Glasses, Grow Woman e Forever and A Day; o único remanescente foi ‘Commander’. Nesse meio tempo houveram trocas de gravadora e empresários, fatos quase sempre fatais pra artistas, segundo a cantora a mudança de selo seria pelo desempenho mediano de seu último álbum Mrs. Kelly.

O lançamento de Motivation, uma colaboração com Lil Waine, muda os rumos da divulgação do trabalho, o single foi bem sucedido nas paradas americanas, superando inclusive sua colega mais famosa de banda, Beyoncé. A partir daí o lançamento do álbum foi finalmente agendado e se concretizou. Previa-se, pelas parcerias com produtores de música dance, que o álbum seguiria este nicho mas o sucesso de Motivation mudou toda a cara da produção.

Here I Am tem como sonoridade básica a Urban Music, uma mistura de R&B e pop, e no final apresenta as duas faixas representantes da veia House na qual a cantora diz se identificar muito.Kelly Rowland Here I Am

A verdade é que o álbum é pouco ousado, e mesmo depois de experimentar novos ritmos Kelly continuou na sua zona de conforto ao misturar muitos elementos mais pop ao seu R&B tentando torna-lo mais comercial. O resultado é um trabalho morno, com suas exceções, obviamente. Work It Man é um exemplo de uma faixa que representa o que foi dito, mesmo produzida por Darkchild, o Midas da música atual, o sintetizador que lambuza a faixa tira o peso das batidas do R&B. Isso acontece também na maioria das faixas do Here I Am.

I’m Dat Chick merece destaque, a canção que abre o set list mistura elementos eletrônicos à música urbana, mostrando uma faixa bem ousada. Batidas fortes e vocais estranhos cantando sobre uma Kelly convencida, que realmente sabe que é bonita. Em algum aspecto me lembra Vanity, de Christina Aguilera.

O sexo dessa vez é tema mais presente no álbum e fica mais evidente no single Motivation, ótima música que traz o R&B mais ‘tradicional’, minimalista e sensual.

Quase 80% do álbum foi escrita e produzida por Ricco Love, o responsável de “Sweet Dreams” entre outras músicas nas quais se ouve o bordão já famigerado ‘turn the lights on’ que se tornou a assinatura do produtor. Ricco também colabora cantando em All Of The Night, uma baladinha aguada mas com vocais muito bonitos de Kelly, como sempre.

O Sucesso estrondoso da parceria com David Guetta, When Love Takes Over, se reflete nas últimas faixas do álbum: a superdançante Commander (Que também foi produzida por David), já citada aqui e Down For Whatever, produzida pelo hit maker Red One.

Here I Am é um trabalho bem homogêneo apesar das últimas faixas, pouquíssimo inovador, mas não chega a ser ruim. É um álbum OK com seus pontos altos bem distribuídos em meio a faixas quase inexpressivas.

O álbum ainda não foi lançado no Brasil.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Timbaland, David Guetta e Pitbull juntos em Pass At Me

O grande hit maker dos anos 2000 resolveu se juntar aos outros produtores mais bem-sucedidos da ultima decada, David Guetta e Pitbull, pra contribuir na trilha sonora de um projeto de 'arte' bem curioso intitulado 'Culo'.

A história é a seguinte: o fotografo italiano Raphael Mazzuco está produzindo um livro de fotos semi-eróticas que tem como foco, pasmem, a bunda. Bem, com esse tema nada melhor do que os melhores produtores de música pra mexer o culo pra compor a trilha sonora.

A faixa é Pass At Me, é uma mistura de música eletrônica com as batidas mais loucas que a gente espera de Timabaland, os raps ficam por conta de Tim e de PitBull. A letra a gente nem comenta né? fica mais o beat pra dançar mesmo. Esperava coisa mais impactante de uma colaboração tão grandiosa.

O vídeo é uma coletânea das imagens do projeto Culo, com direito a muita bunda de fora e belíssimas modelos, nada além disso.

Afim de ver? Só dar o play


Exclusive Video: A First Look at Culo by Mazzucco from GQ.com on Vimeo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...