quinta-feira, 21 de julho de 2011

Pop no Brasil, isso existe?

Por que o pop nacional não tem força? Talvez você nunca tenha percebido mas nossos representantes desse estilo são completamente sem expressão no cenario musical brasileiro. Antes de tentar discutir esse assunto, quem seriam nossos cantores pop? Kelly key, Latino, Wanessa, Sandy… Mas pera aí só esses? Dependendo do que a gente considere Pop os nomes não vão muito alem desses aí.

Pra começar estou definindo pop aqui como estilo musical universalizado, aquele que já foi descutido aqui, o gênero de música que é feito em quase todos os países do mundo e segue mais ou menos as mesmas características básicas: simplicidade melódica, geralmente feita pra dançar, com influências do funk, eletrônico, soul, R&B, etc.

Se levarmos em consideração só o caráter popular da música, aqui no Brasil o pop pode ser definido por outros estilos musicais como o axé, o sertanejo e o pagode. Mas se observarmos bem, tais elementos citados como características do pop internacional também estão presentes (em partes e em outras proporções) na nossa música.

Rouge_álbumVoltando ao pop de Kelly Key e compahia… O Brasil já teve representantes fortes do estilo em quastão como o grupo Rouge e a dupla Sandy e Júnior. O que faz o grande público não aceitar tão plenamente esses artistas é o fato da música deles ser reconhecida como música para crianças, afastando assim os ouvintes jovens e adultos, não estou dizendo que eles não fizeram sucesso mas a aceitação podeira ser muito maior. Outros como Latino apelam para a tosqueira e caem no desrespeito.  Outro ponto fraco do pop brasuca são as performances, tão valorizadas no cenário internacional, aqui um artista raramente aparece com uma coreografia mais elaborada, bailarinos e etc.

Ultimamente nota-se uma tendência dos artistas pop brasileiros fazerem suas música em inglês (vide Wanessa ex-Camargo) sob o argumento de a língua portuguesa não casar bem com esse estilo. Isso só reforça ainda mais a limitação de uma música de ‘massa’ a um determinado seguimento, pois o público nacional em geral gosta de acompanhar a letra das músicas e apreciar a mensagem que esteja sendo passada (independende de qual ela seja); outro aspecto a ser pontuado é: que argumento é esse, brasil? Ritmos não tem língua, o pop não só fala inglês, vide o sucesso estrondoso do J-pop no japão. Se a música é boa ela vai ser reconhecida, independente da língua que é cantada, e outra, qual o intuito de cantar em inglês ou qualquer outra língua se seu público alvo não compatilha desse mesmo código? estética? Me poupe.

A MPB está lotada de artistas que fazem essencialmente música pop, mas aqui são denominados como MPB pela qualidade das suas letras/arranjos/melodia, tal rótulo é elitista e restringe o cantor/cantora/banda a uma pequena parcela do público. Com a divulgação certa e focada, a audiência dessa obra poderia ter uma alcance muito maior, principalmente se conseguir se desprender dos preconceitos de ser aceito pela maioria e se tornar de fato popular. Parece que o status de ser considerado MPB é mais importante do que ter a música massivamente difundida nos meios de comunicação.

Algumas bandas pop/rock tem aceitação medíocre em meio aos ouvintes principalmente de considerarmos as bandas do mesmo gênero fora do país. Um hit ou outro salvam esses artistas do ostracismo quase geral.Ivete Sangalo

Enquanto as gravadoras não atentarem para o gênero pop mais jovem porém não infantil, nosso mercado fonográfico vai continuar carente nessa área e nossos representantes vão continuar sendo Ivete Sangalo, Luan Santana e Exaltasamba…. Isso não é uma crítica negativa, tais artistas realizam muito bem seu papel no que se propõe, mas infelizmente não tem um som universal que possa superar as barreiras dos regionalismos e  características étnicas de suas obras.

Enquanto isso o Brasil continua carente nessa área e seus jovens se veem ouvindo Katy Perry, Lady Gaga, Jay-Z por falta(?) de representantes nacionais.

3 comentários:

Anônimo disse...

eu também acho que o Pop brasileiro não existi gostava dos programas de calouros do SBT formava como Rouge(isso sim é POP)

Matheus Berocal disse...

Quatro anos depois desta publicação, temos uma reviravolta no cenário musical. Atualmente temos grandes representantes do Pop brasileiro. Anitta, por exemplo, hoje é internacionalmente conhecida como cantora pop brasileira. Ludmilla, Mc Biel e por ai vai.... temos uma infinidade!

ana disse...

Agora em 2016 acho que o Pop no Brasil tem esperança, ainda mais com a influencia do kpop muitas pessoas querem se tornar cantores e/ou dançarinos, e estes são muito talentosos. Por mim empresas musicais deveriam acolher estas pessoas e investir no nosso próprio Pop.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...